26 de jan de 2013

MARIO QUINTANA - Do Ideal



por  Pedro Luso de Carvalho
    

MARIO QUINTANA nasceu em Alegrete, RS, a 30 de julho de 1906, e faleceu na capital gaúcha, Porto Alegre, em 5 de maio de 1994. Traduziu obras importantes -  Marcel Proust,  Virginia Woolf, entre outros - para a Editora do Globo. O poeta recebeu  o Prêmio Fernando Chinaglia da União Brasileira de Escritores, e o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto da obra.

Segue a prosa-poética de Mario Quintana, Do Ideal (In Quintana, Mario. Na volta da esquina. Porto Alegre: Editora Globo, 1979, p. 50).



[PROSA POÉTICA]


DO IDEAL
 (Mario Quintana)




As lagartas não podem acreditar na lenda das borboletas - tão antiga entre seu rastejante e esforçado povo... mas sua felicidade consiste em relembrar, às vezes, o absurdo e maravilha deste velho sonho: o de se transformarem, um dia, em borboletas.



*  *  *


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO