14 de nov de 2011

GRACILIANO RAMOS - "Café Literário"




          O debate no "Café Literário" - 13 de Novembro, 2011 -  Jornal de Angola.  

       “A Literatura Regionalista de Graciliano Ramos - O Romance ‘Vidas Secas’, entre o Universal e o Local” foi o tema do último Café Literário, no dia 8 de Novembro, na Casa de Cultura Brasil-Angola. A convidada foi a diplomata brasileira Tânia Souza, formada em Jornalismo e Letras com especialização em Linguística. 

        “Vidas Secas” é um romance publicado em 1938 e premiado internacionalmente. Tornou-se um marco da literatura modernista brasileira. A obra apresenta a saga de uma família do sertão nordestino e os desafios das sequelas sociais como a fome, a pobreza e a seca.

        Graciliano Ramos nasceu no Estado de Alagoas em 1892. Fez parte da segunda fase modernista, também chamada geração de 1930 e consagrou-se como escritor na década de 40. Além do romance “Vidas Secas”, considerado um dos mais importantes da literatura brasileira, publicou “São Bernardo” (1934), “Caetés” (1933), “Angústia “(1936), “Infância” (1945), “Insónia” (1947) entre outras obras. O escritor faleceu em 1953 no Rio de Janeiro.

O “Café Literário” faz da parte da programação cultural da Casa de Cultura Brasil-Angola e tem como objectivo debater a literatura brasileira. A entrada é livre. A Casa de Cultura Brasil – Angola fica na Rua Fernão Lopes 67 A, Bairro Valódia (tel. 222 44 96 26).


Nenhum comentário: