26 de fev de 2011

CARLOS FUENTES / Amizade

Carlos Fuentes






        Aquilo que não temos, encontramos no amigo. Acredito nesse benefício e o cultivo desde a infância. Nisso, não sou diferente da maioria dos seres humanos. A amizade é o grande elo inicial entre o lar e o mundo. O lar, feliz ou infeliz, é a aula de nossa sabedoria original, mas a amizade é a sua prova. O que recebemos da família, confirmamos na amizade. As variações, discrepâncias ou semelhanças entre a família e os amigos determinam as rotas contraditórias de nossa vida. Embora amemos nosso lar, todos passamos pelo momento inquieto ou instável do abandono (embora o amemos, embora nele permaneçamos). O abandono do lar só tem a recompensa da amizade. Mais ainda: sem a amizade externa, a morada interna desmoronaria. A amizade não disputa com a família os inícios da vida: ela os confirma, garante e prolonga. A amizade abre caminho aos sentimentos que só podem crescer fora do lar. Encerrados na casa da família, murchariam como plantas sem água. Abertas as portas da casa, descobrimos formas de amor que irmanam o lar e o mundo. Essas formas se chamam amizade.


                                                                      (Carlos Fuentestrecho de Amizade)



        Ref. FUENTES, Carlos. Este é Meu Credo. A/Z. Trad. de Ebréia de Castro Alves. Rio de Janeiro: Rocco, 2002, p.15.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO