28 de jun de 2011

RUI BAROSA – De ameaças e perigos






        Não nasci cortesão – proclarou Rui num discurso. Não o fui do trono; não o quis ser da ditadura; da própria Nação não o sou: não o serei das baionetas. Não aceitarei a luta no terreno onde a puseram dentro das leis normais e políticas do dever e da honra. Não está na minha índole fugir. O meu temperamento, mercê de Deus, não é o dos poltrões. Da firmeza do meu posto cívico não permitirá Deus jamais me abalem ameaças ou perigos.


                                                           (Rui Barbosa)



Ref.: ASSIS BARBOSA, Francisdo de. Retratos de Família. 2ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1968, p. 36.



Nenhum comentário: