2 de mar de 2011

MARIA ALZIRA SEIXO / Prêmio Virgílio Ferreira

Maria Alzira Seixo
                                                    
       

        Quarta, 02 Março 2011 13:46.  

       A ensaísta e professora catedrática Maria Alzira Seixo, galardoada com o Prémio Vergílio Ferreira 2011 pela Universidade de Évora, confessou-se “muitíssimo gratificada” pela distinção e por integrar o leque de intelectuais e escritores já laureados. 

       “É um prémio que, desde o início, tem sido atribuído a intelectuais e a escritores” conceituados, pelo que, “preenchendo essa galeria, fico realmente um pouco aflita, mas muitíssimo gratificada”, disse, no final da cerimónia realizada ontem. 

        O Prémio Vergílio Ferreira 2011 foi atribuído, na Universidade de Évora, numa cerimónia em que a galardoada recebeu uma surpresa especial, a presença de Maria Cavaco Silva, mulher do Presidente da República. 

       “Somos amigas. Ela [Maria Alzira Seixo] foi para a Faculdade de Letras [da Universidade de Lisboa] um pouco depois de mim e fez uma carreira notável”, realçou Maria Cavaco Silva. 

       Além disso, a mulher do Presidente da República revelou que “tinha uma amizade muito especial” por Vergílio Ferreira, patrono do prémio e por cuja obra tem “uma admiração enormíssima”. 

      “Juntaram-se as duas coisas e eu tinha que estar aqui. Fiz-lhe uma surpresa”, acrescentou, enquanto Maria Alzira Seixo considerou também “bom que um professor de Literatura seja premiado”, porque tal equivale a um reconhecimento a “todos os professores de Literatura”. 

       Natural do Barreiro (Setúbal), Maria Alzira Seixo, de 69 anos, é professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e, no passado, colaborou com a Universidade de Évora, como coordenadora pedagógica e científica da área da Literatura Francesa. 

     Com uma “vasta bibliografia” publicada, a premiada presidiu à Associação Portuguesa de Literatura Comparada e à Federação Internacional de Línguas e Literaturas Modernas. 

      Maria Alzira Seixo, escolhida por unanimidade pelo júri do Prémio Vergílio Ferreira, é especialista no romance português contemporâneo e, em especial, na ficção de António Lobo Antunes. 

      Este prémio, que inclui uma componente pecuniária de cinco mil euros, distingue, anualmente, o conjunto da obra de escritores portugueses relevantes na narrativa e no ensaio. 

     Anteriormente, foi atribuído a Maria Velho da Costa, Maria Judite de Carvalho, Mia Couto, Almeida Faria, Eduardo Lourenço, Óscar Lopes, Vítor Manuel de Aguiar e Silva, Agustina Bessa Luís, Manuel Gusmão, Fernando Guimarães, Vasco Graça Moura, Mário Cláudio, Mário de Carvalho e Luísa Dacosta.  




Nenhum comentário: