28 de out de 2012

[Poesia] EDGAR ALLAN POE – Hino


por Pedro Luso de Carvalho


EDGAR ALLAN POE nasceu a 19 de janeiro de1809, em Boston, Estados Unidos, e faleceu a 7 de outubro de 1849, em Baltimore, aos 40 anos de idade. Foi poeta, contista e ensaísta. Mistério e elementos macabros que impregnam suas histórias deram ao estilo gótico americano outro norte. William Carlos Williams dizia que Poe foi o primeiro autor verdadeiramente americano.
       
Entretanto o escritor Edgar Allan Poe teve o seu reconhecimento, como contista, poeta e ensaísta, primeiramente na França, que teve como divulgador de sua obra e o primeiro a traduzi-la para o francês, grande poeta francês Charles Baudelaire (1821-1867).  Poe só teve o reconhecimento que merecia, tanto pelo público como pela crítica, nos dois anos que antecederam sua morte.

 E foi justamente Charles Baudelaire o primeiro tradutor de contos e ensaios de Poe, levando-os a ser conhecidos pela elite de literatos de Paris, que passaram a admirar a sua obra. Mallarmé, um dos expoentes do Simbolismo, continuou a fazer a divulgação das histórias e poesias de Poe, cujos versos falam apenas de mundos interiores, sem qualquer menção ao mundo exterior.
   
Segue o poema Hino, de Edgar Allan Poe que integra o livro Poemas e Ensaios/Edgar Allan Poe. Tradução de Osmar Mendes e Milton Amado. Revisão e notas de Carmen vera Cirne Lima. 3ª ed. revista. São Paulo: Globo, 1999, p. 52:



    [ESPAÇO DA POESIA]



        HINO
(E. A. Poe)



Santa Maria! Volve o teu olhar,
de lá dos altos céus, do teu trono sagrado,
para a prece fervente e para o amor singelo
que te oferta, da terra, o filho do pecado.


Se é manhã, meio-dia, ou sombrio poente,
meu hino em teu louvor tens ouvido, Maria!
Sê, pois, comigo, ó Mãe de Deus, eternamente,
quer no bem ou no mal, na dor ou na alegria!


No tempo que passou veloz, brilhante, quando
nuvem qualquer meu céu escureceu,
temeste que me fosse a inconstância empolgando
e guiaste minha alma a ti, para o que é teu.


Hoje, que o temporal do Destino ao Passado
e sobre o meu Presente espessas sombras lança,
fulgure ao menos meu Futuro, iluminado
por ti, pelo que é teu, na mais doce esperança.




                 *  *  *


4 comentários:

  1. Buenos días Luso interesante tu entrada

    Qué vida la suya! por eso escribía tan bien, como todo hombre genial, grandes cualidades, grandes defectos. Con todo, es admirable su obra, el mejor escritor de misterio de todos los tiempos es una pena que no se conozca tanto sus poemas
    Un abrazo

    Feliz fin de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Lola!

      Foi uma grande alegria receber sua visita, com esse seu inteligente comentário sobre POE, que, como você disse, é mesmo o maior escritor de mistério de todos os tempos, de quem o nosso extraordinário escritor Sul-americano, JORGE LUIS BORGES era admirador - e foi por ele influenciado - e tradutor de parte da sua magistral obra.

      POE foi também o criador da narrativa policial.

      Quanto aos poemas de POE, alguns foram publicados no Brasil, com o título de "Poemas e Ensaios", pela Editora Globo.

      Abraços,
      Pedro.

      Excluir
  2. Interesante blog,ha sido una delicia pasearme por el. ¡Gracias!
    Un saludo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Indiasena, por sua visita.
      É sempre muito agradável receber visitas de nossos "hermanos", como dizemos por aqui.
      Espero que volte mais vezes.
      Abraços.

      Excluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO