12 de mar de 2012

[Prosa Poética] MARIO QUINTANA - O Outro





      Na cidade do sonho, que existe dentro da outra e onde o tempo é um novelo inextrincavelmente emaranhado pelos gatos, quase sempre avisto ao longe, dobrando uma esquina, aquele mesmo vulto silencioso. Não sei por que ele me espiona e evita-me. Desconfiará que sou acaso a sua imagem perdida nos espelhos? Vou fazer fumigações, acender velas pretas a São Cipriano, velas brancas ao meu Negrinho do Pastoreio, velas de todas as cores a São Jorge em seu belo cavalo – e, uma noite, numa esquina do sonho, hei de enfim surpreendê-lo, cara a cara! 

        Mas talvez nunca mais eu despertasse... 

                                                                       

                                                                        * * *

(O Outro,  integra o livro Na Volta da Esquina, de Mário Quintana, Coleção RBS, Editora Globo, 1979, p. 75.)


                                                                  *  *  *  *  *  *

2 comentários:

  1. Nossa...
    Que maravilha!

    A profundidade é tanta, que a gente visualiza e sente na pele.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Há quem sinta as coisas da vida, tudo tão simples e tão complexo, duma forma extraordinária, fora do comum, do vulgo, na azáfama da sobrevivência do dia a dia...

    Sabe bem ler e ouvir estas pessoas. Sabe bem e faz muito melhor às nossas vidas, cada um de nós a entrelaçar os seus sentimentos com os dos outros.

    Precisamos de pessoas assim, que partilhem connosco o seu modo de escolher caminhos de vida com esta noção de uso atempado do tempo...

    Um abraço, Pedro

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO